INDIQUE A UM AMIGO   ADICIONE AOS FAVORITOS

Av. Com. Luciano Guidotti, 354 - Higienópolis - Piracicaba/SP - Brasil (CEP 13417-370)
FONE: (0xx19) 3301-7915 / FAX: (0xx19) 3301-7916

"Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor" (Oséias 6:3)
Natal - Boa Nova de grande alegria !
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 
Escrito por saulo   
Seg, 23 de Dezembro de 2013 17:40

Neste último domingo (22/12/13), estudando o texto de Lucas 2:1-20 sobre o nascimento de Jesus Cristo, dentre tantas verdades sobre o “início” do cristianismo, algo chamou muito a minha atenção, as palavras do anjo dizendo aos pastores que ele estava levando “BOA NOVA DE GRANDE ALEGRIA” (vers. 10).
Fiquei por alguns minutos me questionando o que está incoerente com o Natal que vivemos hoje, ou talvez já de alguns anos, se o Natal de Cristo deve ser uma “boa nova de grande alegria”. Para aqueles pastores, o Natal de Cristo foi sim motivo de muita alegria, mas para a Igreja hoje, vejo que ele é e será sempre uma Boa Nova, mas e a alegria, cadê ? O que está acontecendo em nosso meio ou na vida das pessoas, inclusive dos cristãos, que não vemos mais a ênfase da alegria nas celebrações natalinas, até mesmo dentro das igrejas ?
A alguns anos atrás, lembro-me perfeitamente que no mês de outubro já era possível contemplarmos lojas comercializando produtos com temas natalinos, luzes espalhadas em grande quantidade pelas ruas, comércios, casas, prédios públicos..., mas hoje, o que vemos são apenas poucas menções do Natal, algumas poucas celebrações sobre o nascimento de Jesus Cristo. Cantatas Natalinas, ou que é isto ?
Se antes já se via temas natalinos já no mês dez, hoje as decorações parecem que começam quase no mês doze mesmo, sem qualquer necessidade de antecedência. As luzes, quando existem, na sua maioria são sem gosto, mal colocadas, com inúmeras lâmpadas queimadas, dando-nos a impressão que aqueles que as colocaram o fizeram meio às pressas, sem paixão, sem uma motivação mais preciosa e santa. 
Questionando ao Senhor e a mim mesmo sobre o porquê de tudo isto, tive três importantes e preocupantes respostas: a PRIMEIRA, devido ao fato de Jesus não estar sendo anunciado no Natal. A alegria mencionada por aquele anjo seria para aqueles que recebessem o anúncio do nascimento de Cristo, mas hoje Jesus nem sempre tem sido anunciado na celebração do seu natal. Fala-se de tudo, de presentes, de festas, de comidas exóticas, de passeios, de viagens, de reunião em família, de rever amigos..., mas nem sempre de Jesus como Senhor e Salvador. Quando muito se ora nas reuniões familiares, mas muitas vezes com a expectativa da brevidade nas palavras, afinal o “peru” pode esfriar e a Coca-cola esquentar. Até mesmo o não bíblico Papai Noel está sendo esquecido em nossos dias, sua tradição está perdendo força para algo que ainda não está bem claro. Quem diria que até o “amigo secreto” está saindo de cena, está tão oculto que não o encontramos mais; a última vez que o vi foi em dezembro do ano passado.
A SEGUNDA resposta que tive para este “triste” Natal é que mesmo quando Jesus é anunciado, não há respostas ou reações positivas das pessoas sobre a Sua importância. Quando os pastores receberam a boa nova de que Jesus, o Salvador, havia nascido, eles saíram apressadamente ao encontro do Filho de Deus, largaram tudo o que estavam fazendo e foram ao seu encontro.
Recentemente estive em Belém (Israel), e pude conhecer a caverna onde possivelmente Jesus nasceu; descobri que fica em um lugar bem alto, em cima de um monte. Visitei também o campo dos pastores, e vi que ele fica cerca de dois quilômetros da montanha onde possivelmente Maria deu a luz, ou seja, os pastores, diante daquela verdade levada pelo anjo, largaram seus afazeres e apressadamente foram até onde Jesus nasceu, num trajeto não tão perto, numa subida bastante íngreme.
Eles reagiram positivamente, favoravelmente às palavras do anjo, e isto certamente lhes traria grande alegria para todo o sempre, mas hoje, nos nossos dias, vejo que diante das verdades bíblicas ou cristãs apregoadas por aí e até mesmo dentro das igrejas, muitos são apáticos, frios, sem qualquer tipo de reação ou atitude de mudança, de busca, de esforço para conhecer este Jesus apresentado nas Sagradas Escrituras. Muitos querem a benção, o milagre do casamento restaurado, da enfermidade curada, da salvação e libertação dos seus pecados..., mas não querem deixar “tudo” o que estão fazendo, não querem correr apressadamente ao encontro de Cristo, não querem “pagar o preço” ou se esforçarem, caminhando “dois quilômetros em subida acentuada”, para estarem com Jesus. 
Como queremos um Natal de alegria, se não é dado a ele o valor devido ? Como queremos usufruir do sentido real do Natal, se ele não tem tido sentido para nós ?
Uma TERCEIRA resposta da celebração de um Natal sem alegria, incoerentemente ao ensino da Palavra de Deus, é a falta de fé. Os pastores receberam do anjo a afirmação de que Jesus, o Messias, o Ungido de Deus, o aguardado pelos judeus, enviado do Pai... havia nascido, e como sinal, ele estaria envolto em faixas, deitado em uma manjedoura. 
Era necessário muita fé aqueles pastores para crer nas palavras de um anjo, bem como, que aquele menino envolto em faixas, e não em roupas finas e caras, e nascido em uma simples e pobre manjedoura, e não em berço esplêndido com traços de realeza, seria o Messias tão esperado. Houve fé, muita fé da parte deles para saírem ao encontro de Jesus. Importante ressaltar inclusive, que eles eram alvo de muito preconceito naqueles dias pela sociedade em que viviam, pois eram considerados marginais e impuros, eram discriminados pela sociedade, e mesmo assim saíram das suas “casas” em campos para saírem a procura de Jesus, vencendo os medos e preconceitos.
Vejo que em nossos dias, muita alegria que Deus quer nos proporcionar, a começar do Natal de Cristo, está sendo roubada ou impedida de acontecer, por que tem faltado fé no coração de muitos. Fé para crer que Jesus é real, verdadeiro, transformador de vidas, de circunstâncias, restaurador... Fé para entender que o pecado existe, que o céu e o inferno são reais, e que nos é necessário a salvação para uma vida eterna, para todo o sempre na presença de Deus. Fé para agir, rompendo as barreiras, antes de tudo, dentro de nós, na nossa mente e no nosso coração.
Natal sem anunciação de Jesus Cristo, sem mudança ou reação à sua existência, e sem fé, é Natal sem alegria.
Meu desejo é que Lucas 2:10 se cumpra em nossas vidas ainda neste ano, que Jesus, mesmo em meio aos nossos desafios diários, seja motivo de abundante, grande, sobrenatural alegria. Que as luzes mais fortes se acendam em nosso coração, que o vermelho do sangue, o amarelo do sol, o verde das matas, o azul do céu, o branco da neve... estejam colorindo os nossos rostos hoje e sempre.
Meu desejo é que 2014 seja um ano de muitos milagres, de conquistas, de promessas cumpridas, o melhor ano das nossas vidas, mas tenho plena convicção que isto somente acontecerá se antes de tudo, até das infindáveis “listinhas de pedidos”, da ritual oração de virada de ano..., o Natal de Cristo verdadeiramente se cumprir em nossas vidas. Reaja ao nascimento de Jesus, tenha fé, viva a “boa nova de grande alegria” em sua vida.
Feliz Natal e um 2014 cheio das bênçãos de Deus !!

 

Rev. Saulo Stratico Jardim

Última atualização em Seg, 23 de Dezembro de 2013 17:45
 
© 2011 Igreja do Nazareno Jardim Elite de Piracicaba-SP | Todos os direitos reservados
Desenvolvido por NetiCom Brasil - Agência Web